terça-feira, 19 de maio de 2020

Covid-19: Wellington Dias se reúne com Bolsonaro para discutir plano nacional

O chefe do executivo estadual foi convidado a participar do encontro após receber uma ligação do Palácio do Planalto na segunda-feira (18).
Por Jorge Machado, do Jornal O Dia
Foto: Arquivo O Dia.
O governador Wellington Dias (PT) e o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) se reúnem por videoconferência na próxima quinta-feira (21), às 10h, para discutir o plano nacional de enfrentamento à pandemia do novo coronavírus.
O chefe do executivo estadual foi convidado a participar do encontro após receber uma ligação do Palácio do Planalto na segunda-feira (18). Além de Wellington Dias, outros governadores devem participar da reunião.
Após confirmar presença, Dias afirmou que no momento existe a necessidade não apenas de diálogo, mas também medidas concretas por parte do Governo Federal.
“Estamos enfrentando um inimigo comum que é o coronavírus. Esse que é inimigo tanto da saúde como da economia e há a necessidade de enfrentarmos juntos, porque já levou a óbito mais 16 mil brasileiros. Eu compreendo que neste instante há necessidade não só de diálogo, mas também medidas concretas, onde possamos unificar com um plano nacional”, disse o governador.Leia também
O plano nacional, que será apresentado na reunião, deverá servir de base para os desafios a serem enfrentados na saúde como a testagem em massa da população, garantir leitos suficientes e UTI, permissão de protocolos médicos desde o início do da doença além de estratégias para a retomada das atividades econômicas.
“Por que tão logo tenhamos as condições de uma retomada, garantir as condições de um trabalho conjunto entre a União, Estados, Municípios e inciativa privada para a retomada do crescimento, geração de emprego, enfim, tudo aquilo que é necessário”, disse Wellington.
Nas últimas semanas, Bolsonaro tem criticado governadores e prefeitos que ele considera terem tomado medidas rigorosas no enfrentamento da Covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus. O presidente, inclusive, reitera que suspensão das atividades econômicas pode ser mais maléfica do que os efeitos do vírus no país.
O último boletim da Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi) apontou para 2440 casos confirmados da doença e 85 mortes. Até o momento, o número de altas médias foi de 297.
Fonte: portalodia.com
Edição: Mário Pires Santana

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade de seus autores, e não refletem, de maneira nenhuma, a opinião do redator deste portal.